Cérebro de Atleta – Quando a crença leva à transformação

muaithai1Começamos o ano novo chinês. É o ano do Macaco de Fogo, um ano de realizações, conquistas e boas oportunidades, segundo a tradição chinesa.

Estamos no Brasil, e é claro que o ano novo chinês não significa nada para nós. Mas podemos aprender muito com a maneira de pensar e agir de outras culturas, principalmente com essa crença arraigada na cultura popular chinesa. Acreditem ou não, a crença pode mudar sua vida, para o bem ou para o mal.

Nós, que vivemos um momento conturbado política e economicamente, sofremos com o medo do desemprego e de passar por dificuldades financeiras. Esse medo traz angústia e uma forte crença negativa de que tudo está desmoronando. Isso te leva a um pensamento negativo generalizado, e quando se torna crônico, pode levar a doenças físicas e mentais, inclusive a mudanças comportamentais perigosas.

Por isso a necessidade de ter crenças positivas, de acreditar em mudanças, anos auspiciosos (como os chineses), de manter foco nas coisas boas que conquistamos todos os dias — às vezes, um simples café com um amigo, uma conversa agradável. Crer na vida pode mudar sua forma de pensar e proporcionar uma vida mais saudável!

E como fazemos isso? Um bom começo é investir em você mesmo, na sua qualidade de vida, seja praticando exercício físico, arte marcial, aprendendo técnicas de meditação (mindfulness) ou simplesmente aprendendo a tocar um instrumento.

Vou citar um exemplo que presenciei em um dos atendimentos que realizo semanalmente no Centro de Lutas de Barueri, quando assisti a aula de Muay Thai do mestre Rafael Chapolim. Além de notar a complexidade técnica dessa modalidade de arte marcial, e muito me chamou atenção a pericia e humildade com que o professor trata seus alunos, notei a satisfação dos alunos ao término da aula. Alguns se destacaram, alguns conseguiram executar com perfeição todos os golpes, muitos apenas concluíram satisfatoriamente os exercícios, mas todos exibiam satisfação ao final do período de treino.

A satisfação ajuda o cérebro na produção de novos neurônios, a criar novas memórias, melhora a capacidade do cérebro de recuperar memórias de experiências passadas. Melhora a capacidade cerebral, o aprendizado, sua mente funciona com mais clareza, proporciona autoconhecimento emocional, diminuindo o estresse e ansiedade.

Leia Também:


Washington Luis Pedrette é Psicólogo Clinico (CRP 06/122364), com pós-graduação em Neurociência Aplicada à Educação. Atua principalmente no desenvolvimento cognitivo de atletas de alto rendimento. 

Contato email: pedrettepsi@gmail.com

 

Sem comentários, ainda!

Deixe seu comentário

You must be Logged in to post a comment.